12/08/2022 - Economia e Finanças

Quanto valem 100 Euros?

Por Horacio Gustavo Ammaturo

Quanto valem 100 Euros?

Em uma pequena cidade, cai uma chuva torrencial.Há vários dias que a cidade parece deserta.Há muito que a crise vem abalar este lugar, todos têm dívidas e vivem com base em créditos.Felizmente chega um milionário de visita e entra no único pequeno hotel do lugar. Insta um quarto, coloca uma nota de 100 Euros na mesa da recepcionista e vai ver se encontra algum quarto da suagrado.O chefe do hotel pega a nota e corre para pagar as suas dívidas com o carnificina.Ele toma a nota e corre para pagar a sua dívida com o criador de suínos.No momento, este sai correndo para pagar o que lhe deve ao moinho fornecedor de alimentos para animais.O dono do moinho toma a passagem para o voo e corre a liquidar a sua dívida com Maria, a prostituta à qual há tempo não lhe paga, em tempos de crise até ela oferece serviços de crédito. .A prostituta com a mão sai para o pequeno hotel, onde trouxe os seus clientes as últimas vezes e que ainda não havia pago e entrega a nota ao dono do hotel.Neste momento, o milionário que acaba de dar uma olhada nos quartos diz que não lhe convence nenhuma, toma a nota e vai embora."Ninguém ganhou um centavo, mas agora toda a cidade vive sem dívidas e olha o futuro com confiança!"
Este conto, além de ser muito engraçado e sucedente, explica de maneira gráfica e simples que uma das funções mais importantes do dinheiro é a de unidade de conta.O processamento de pagamentos dentro de um mesmo ecossistema (mercado) gera valor circulando.Com apenas 100 Euros foram canceladas dívidas por 600, o que, na verdade, significa que, com a emissão de apenas 100 unidades, a velocidade de circulação do dinheiro produziu poder de compra por seis vezes mais do que a sua base monetária, por assim dizer.O conflito inicia-se quando o circulante sai do processo ou se estanca ou acumula.Para o nosso caso, imaginemos que o chefe do hotel teria devido serviços de limpeza de lençóis a um fornecedor externo, de outro povo. Nem o carnicero, nem o criador de porcos, nem o moinho local, nem a prostituta poderiam honrar suas dívidas. Da mesma forma, o dono do hotel também não teria podido cancelar a própria, pois só teria mudado de credor, agora deveria 100 Euros ao milionário.É incrível como, quando sai dinheiro de circulação seja por acumulação em contas bancárias ou por absorção de títulos pelos bancos centrais, a economia é paralisada e corta as cadeias de pagamentos.Os sistemas de pagamentos digitais transaccionais permitem criar espaços fechados para os diferentes actores da economia, principalmente contapropistas, pequenos empreendimentos pessoais e economias regionais possam contar com jogos de dinheiro específicos para que dinamize a economia desses setores.Os modelos de desenvolvimento próximos podem incorporar a tecnologia Blockchain para organizar ecossistemas transaccionais de pagamentos fechados que podem ser aplicados modernos esquemas de emissão monetária e políticas de assistêncialismo e desenvolvimento, no âmbito de sistemas fiscais simplificados.A Argentina encontra-se num momento ideal para iniciar experiências pilotos deste tipo. Para desenvolver os setores mais adiados sobrados com os pesos que emite o Banco Central, pois para isso têm valor.Em vez disso, os atores mais ricos perderam o interesse pelo nosso peso, desprezando seu valor.Nos momentos de escassez mesmo para determinados setores da economia nosso pobre BCRA pode ser o milionário da nossa história.Talvez tenha chegado o tempo em que cada um recebe o que valoriza.

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
horacio gustavo ammaturo

Horacio Gustavo Ammaturo

Chamo-me Gustavo Ammaturo. Sou licenciado em Economia. CEO e Diretor de empresas de infraestrutura, energia e telecomunicações. Fundador e mentor de empresas de Fintech, DeFi e desenvolvimento de software. Designer de produtos Blockchain.

Twitter Linkedin

Visualizações: 0

Comentários