11/03/2023 - Economia e Finanças

Hiperinflação: o que é e como resolvê-la

Por Julián Ramos Cancio

Imagen de portada
Imagen de portada

O debate sobre a origem da inflação e as suas possíveis soluções ainda levanta opiniões encontradas. Em vez disso, ao falar de hiperinflação, os pontos a debater são menos. Isto deve-se, por um lado, a que este fenómeno não é tão comum como o da inflação, o que o torna mais desconhecido e um tema menos popular sobre o qual falar. Por outro lado, entre os profissionais da ciência econômica há concordância sobre quais situações originam hiperinflação e sobre as medidas que conseguem combater de maneira efetiva esse fenômeno. Esta nota assinala os principais problemas e algumas das soluções que os países implementaram perante episódios de hiperinflação.

O que é e que problemas traz uma hiperinflação?

Uma hiperinflação é uma inflação fora de controle. Existem diferentes critérios a partir de que taxa de inflação é considerada hiperinflação. Para simplificar esta questão, vamos utilizar a amplamente aceita definição que utiliza o economista Philip Cagan (1956) em seu artigo The Monetary Dynamics of Hyperinflation. Ali assinala que um episódio de hiperinflação ocorre quando o nível de preços supera 50% mensal e se mantém por cima desse limiar durante vários meses.

Como mencionamos, uma hiperinflação é uma inflação descontrolada. Portanto, os problemas que ocorrem quando há inflação também se apresentam, e de maneira mais agudizada, em um episódio de hiperinflação. Em primeiro lugar, o poder de compra caiu e a riqueza cai drasticamente. Em segundo lugar, a moeda sofre uma desvalorização extrema. Em terceiro lugar, diante da rápida perda de poder de compra, as pessoas podem optar por antecipar o consumo de bens duráveis (aqueles que podem ser usados muitas vezes ao longo do tempo). Se a parte do consumo for efectivamente adiantada, será atribuído menos dinheiro à poupança e ao investimento.

Como se sai de uma situação de hiperinflação?

Certamente, as soluções para os episódios de hiperinflação no mundo não foram sempre as mesmas. Isto deve-se ao facto de as circunstâncias em que um país se encontra na altura de lidar com a crise serem diferentes em cada caso. No entanto, hádois objectivosOs governos tendem a perseguir estas situações.

O primeiro é alcançar oequilíbrio fiscal. Uma vez que o défice orçamental é normalmente a origem do problema, num episódio de hiperinflação, as autoridades tentam reduzir as suas despesas e aumentar as suas receitas. As medidas mais comuns visam reduzir a planta estatal, aumentar os impostos e melhorar a eficiência do sistema fiscal.

O segundo é alcançar oindependência da autoridade monetária. Um banco central independente significa que o governo já não pode ser apoiado na emissão de notas para cobrir o seu défice fiscal. Para isso, é proibido ao banco central realizar prestações de dinheiro sem apoio ao governo. Mesmo assim, os governos podem obter prestações desde que possam apoiá-las em ouro ou outras moedas fortes. Além disso, alcançar este objetivo também pode influenciar a demanda de dinheiro. Ao observar que já não se está a imprimir dinheiro sem apoio, as pessoas podem mudar as suas expectativas sobre a inflação futura e ter mais confiança na moeda local, aumentando a procura de dinheiro.

A importância do equilíbrio fiscal na solução de problemas económicos

Historicamente, esses dois objetivos sempre foram acompanhados por outras medidas acordes a cada situação. Por exemplo, enquanto alguns países que caíram na Segunda Guerra Mundial conseguiram negociar a suspensão das indemnizações aos países vencedores, outros governos precisaram mostrar estabilidade política ao povo antes mesmo de pensarem num plano de estabilização.

Seja como for, a história indica que o primeiro passo para resolver um problema destas características é acabar com o desequilíbrio fiscal que motiva uma emissão desproporcionada de dinheiro para ser financiado. Por último, embora a situação hiperinflacionária seja, em qualquer momento, algo indesejável, é também a oportunidade perfeita para empreender um rigoroso plano que consiga resolver o problema de raiz.

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
julian ramos

Julián Ramos Cancio

Estudante avançado da Licenciatura em Economia, Universidade de San Andrés

Visualizações: 3

Comentários