13/02/2023 - Política e Sociedade

Autismo: O que é, sinais e sintomas e intervenção.

Por Sofía Belén Odda

Imagen de portada
Imagen de portada

O que são os distúrbios do espectro autista?

Elautismo, denominado também comoPerturbações gerais do desenvolvimento (TGD) ouTEA (Trastorno do espectro autista) é uma condição relacionada ao desenvolvimento do cérebro que afeta a maneira como uma pessoa percebe e socializa com outras.

As pessoas com TEA comunicam-se e aprendem de maneira diferente. As capacidades das pessoas com TEA podem variar significativamente. Por exemplo, algumas pessoas com TEA poderiam ter habilidades de conversa avançadas, enquanto outras poderiam não se expressar verbalmente. Algumas pessoas com TEA precisam de muita ajuda em sua vida diária; outras podem trabalhar e viver com pouca ajuda ou nada de ajuda. O transtorno também compreende padrões de conduta restritos e repetitivos. O termo “espectro” no transtorno do espectro autista refere-se a um amplo leque de sintomas e gravidade.

Sinais e sintomas dos distúrbios do espectro autista

Têm dificuldades com a reciprocidade socio-emocional, ida e volta de uma conversa, dificuldades na comunicação de forma não-verbal e para iniciar ou manter amizades.Algumas crianças apresentam sinais do transtorno do espectro autista na primeira infância, como menor contato visual, falta de resposta quando os chamam por seu nome ou indiferença perante as pessoas responsáveis pelo cuidado. Outras crianças podem normalmente desenvolver-se durante os primeiros meses ou anos de vida, mas depois subitamente se tornam introvertidos ou agressivos ou perdem habilidades da linguagem que adquiriram.

Devido à combinação única de sintomas que cada criança apresenta, por vezes, pode ser difícil determinar a gravidade. Em geral, baseia-se no nível de deterioração e na forma como a capacidade de se desenvolver.

Comunicação e interação social

As habilidades de comunicação e interação sociais podem ser um desafio para as pessoas com TEA. Por exemplo:

  • Não responde ao seu nome ou, por vezes, parece não te ouvir.
  • Ele resiste aos abraços e às carícias; além disso, parece que prefere jogar sozinho e se abstrae em seu próprio mundo.
  • Não costuma fazer contato visual e não tem expressão facial.
  • Não fala ou tem um desenvolvimento tardio da fala, ou perde a capacidade que tinha para dizer palavras ou orações.
  • Não pode manter nem iniciar uma conversa ou, talvez, iniciar uma só para pedir algo ou nomear elementos.
  • Fala com tom ou ritmo anormal e é possível que use uma voz cantarina ou fale como um robô.
  • Repite palavras ou frases textuais, mas não compreende como usá-las.
  • Não parece entender perguntas ou indicações simples.
  • Não expressa emoções nem sentimentos e parece não ser consciente dos sentimentos dos demais.
  • Não assinala nem traz objetos para compartilhar seus interesses.
  • Aborda interações sociais de forma inadequada, comportando-se passivamente, agressiva ou perturbadora
  • Tem dificuldade em reconhecer sinais não verbais, como a interpretação das expressões faciais de outras pessoas, as posturas corporais ou o tom de voz.

Padrões de Comportamento

As pessoas com TEA têm condutas ou interesses que podem parecer incomuns. Essas condutas ou interesses distinguem os TEA de doenças que só são definidas por problemas com a comunicação e a interação social.

  • Realiza movimentos repetitivos, como balancear, girar ou aleter com as mãos.
  • Faz atividades que podem causar dano, como morder ou bater a cabeça.
  • Desenvolve rotinas ou rituais específicos e altera-se com a mínima mudança.
  • Tem problemas com a coordenação ou mostra padrões de movimentos estranhos, como ser torpe ou caminhar em pontas de pé, e mostra uma linguagem corporal estranha, rígida ou exagerada.
  • É deslumbrado com os detalhes de um objeto, como as rodas que giram em um carro de brinquedo, mas não entende o propósito geral ou o funcionamento do objeto.
  • É mais sensível que o habitual à luz, som ou contato físico, mas pode ser indiferente à dor ou à temperatura.
  • Não participa em jogos de imitação ou simulação.
  • Obcecada com um objeto ou uma atividade com intensidade ou concentração anormais.
  • Tem preferências específicas em relação aos alimentos, como comer apenas alguns alimentos ou não comer alimentos com uma determinada textura.

Intervenção

Não há maneira de prevenir o transtorno do espectro autista, mas há opções de tratamento.O diagnóstico e intervenção precoces são o mais útil, e podem melhorar o desenvolvimento da linguagem, das habilidades e da conduta. No entanto, a intervenção é útil a qualquer idade. Embora, em geral, as crianças não deixem de ter os sintomas do transtorno do espectro autista quando crescem, podem aprender a desempenhar adequadamente.

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
sofia odda

Sofía Belén Odda

Olá! Sou Sofia, Psicóloga clínica. Dedico-me à atenção psicológica de adultos, adolescentes e crianças com deficiência. Realizo oficinas de orientação vocacional, orientação a pais, etc. Adoro a minha vocação, gosto de trabalhar do que gosto. A escrita é um pilar fundamental para refletir. Eu também gosto muito do design UX/UI e aprender sobre o UX research. Convido-os a ler os meus artigos.

Twitter Linkedin

Visualizações: 2

Comentários