Há 29 dias - Política e Sociedade

Como conscientizar sobre o consumo responsável e a reciclagem do plástico

Por Victoria

Como conscientizar sobre o consumo responsável e a reciclagem do plástico

```html

Verónica Ramos - Diretora Executiva da Ecoplas

Em junho é celebrado o Mês do Meio Ambiente, designado pela UNESCO para conscientizar sobre a proteção e a saúde do meio ambiente. Um dos principais objetivos é sensibilizar a população mundial sobre questões ambientais e motivá-las a se tornarem agentes ativos do desenvolvimento sustentável e equitativo.

A educação e a conscientização cidadã são eixos centrais de ação para criar uma nova cultura de consumo responsável e de circularidade dos plásticos. Temos a responsabilidade como cidadãos de construir uma nova cultura da circularidade onde cada ação conta para que os plásticos não terminem no meio ambiente, mas que sejam separados e recuperados em processos circulares. É uma tarefa na qual todos estamos envolvidos: a indústria, os governos e a cidadania.

Segundo o último Índice de Reciclagem elaborado pela Ecoplas em colaboração com Cairplas, desde 2003 na Argentina a quantidade de plástico reciclado aumentou em 456%, o que se traduz no fato de que hoje são reciclados 6 vezes mais plásticos do que naquele ano.

Esse aumento está relacionado com o trabalho de conscientização realizado por diversas associações, empresas e o setor público. Na Cidade de Buenos Aires, está sendo realizado o Programa Escolas Verdes, onde mais de 6000 alunos e professores já foram capacitados sobre a separação de resíduos.

Além disso, para adicionar ferramentas à cadeia de valor, são oferecidas capacitações a catadores em 12 Centros de Reciclagem da Cidade de Buenos Aires, onde se ensina a identificar e classificar melhor os tipos de plásticos dos resíduos que chegam, tornando mais eficiente o trabalho dos catadores.

Apesar dessa grande tarefa, a falta de políticas públicas é uma das principais causas das deficiências atuais na separação domiciliar de resíduos, na coleta seletiva, na reciclagem e na valorização de plásticos pós-consumo. Acreditamos que uma Lei Nacional de Responsabilidade Estendida do Produtor -REP- é necessária em nosso país e devemos trabalhar colaborativamente com autoridades governamentais de todo o país para promover políticas públicas que incorporem o consumo responsável e a economia circular dos plásticos.

Atualmente, existem algumas leis nacionais, como a Lei Nacional de Educação Ambiental n.º 27621 e a lei n.º 27592 ou Lei Yolanda, que têm como objetivo uma estratégia nacional de educação ambiental e garantir a formação integral em meio ambiente, com perspectiva de desenvolvimento sustentável e com especial ênfase em mudança climática.

O ecodesign é outro caminho. A Ecoplas e o INTI desenvolvemos a Certificação de Conteúdo de Plástico Reciclado em produtos. Uma ecoetiqueta que garante a rastreabilidade e o conteúdo do material reciclado - de 15% a 100% -, que já conta com duas empresas argentinas que a incorporaram em seus produtos; e com a Certificação de Plásticos Recicláveis, as principais empresas nacionais e multinacionais já possuem “A Mãozinha” em seus produtos plásticos monomateriais para beneficiar sua reciclagem.

 Hoje, a oportunidade é reafirmar o compromisso com o ambiente. O caminho do consumo responsável dos plásticos é chave para isso, adotando o novo modelo de uma economia circular sustentável e respeitosa do nosso entorno.

```

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
Victoria

Victoria

Visualizações: 0

Comentários