21/09/2023 - Tecnologia e Inovação

Hongos mágicos

Por Milagros Castroman

Imagen de portada
Imagen de portada
Imagen de portada
Imagen de portada
Imagen de portada
Imagen de portada
Imagen de portada

Os fungos são mais “mágicos” do que pensamos. Estes organismos têm uma estrutura celular muito complexa e, assim como são especialistas em passar inadvertidos, têm capacidades e benefícios que não podemos identificar.

O mais provável é que, no momento de imaginarmos um fungo, o primeiro que venha à nossa mente seja o típico champanhe. No entanto, sua morfologia varia em inúmeras cores, formas e tamanhos e tem a capacidade de se adaptar a uma infinita diversidade de ambientes.

Embora não nos demos conta, os fungos estão presentes em nossa cotidianidade. Para imaginá-lo, coloquemos como modelo a cozinha. Podemos encontrar, por exemplo, fungos em forma de mohos (não tão desejado) na laranja que ninguém se dignou a comer e ficou abandonada durante um mês na alacena. Se abrirmos a geladeira, encontraremos uma variedade de alimentos cuja produção implicou o uso de fungos, como o queijo azul ou a cerveja. Estes últimos exemplos são dois dos milhares em que os fungos e a biotecnologia se fundem. Esta combinação não só está presente na comida, mas também em múltiplas áreas como a indústria agrícola ou a medicina.

Os fungos são mágicos, e não estou me referindo aos que nos fazem alucinar per se, Os que fazem com que a nossa vida seja efetivamente mais fácil. Por esta razão, hoje vamos falar das áreas em que este microrganismo cumpre um papel fundamental.

Alimentos

Em primeiro lugar, vamos explorar um terreno em que todos estamos (em maior ou menor medida) familiarizados: alimentos.

Um dos fungos mais nomeados na indústria alimentar é a levedura, pois é capaz de realizar a fermentação, o que lhe dá um grande valor industrial. A fermentação é um processo natural no qual microrganismos obtêm energia a partir da degradação de moléculas que são transformadas em compostos químicos mais simples.

A aplicação desta vantagem torna-se evidente na indústria cervecEra. Por fermentação alcoólica, as leveduras utilizam polissacarídeos (carbohidratos complexos) presentes nas sementes dos cereais e os degradam a moléculas mais simples. O produto resultante deste processo é dióxido de carbono e álcool, ingrediente característico da cerveja.

A capacidade fermentadora das leveduras também se manifesta no processo de produção do pão. A levedura utiliza os hidratos de carbono da farinha e realiza a fermentação. O dióxido de carbono obtido é o responsável por lhe dar uma consistência arada e esponjosa ao produto.

Agricultura

Existe um tipo de fungo que tem a qualidade de melhorar exponencialmente o desenvolvimento e crescimento de culturas. As micorrizas são associações simbióticas em que os fungos (micorrícicos) entram em contato com as raízes das plantas.

Uma relação simbiótica implica que dois organismos de diferentes espécies convivam. Embora existam relações parasitarias, onde é prejudicial para um e benéfica para o outro, as uniões micorrícicas são mais bem do tipo mutualista, ou seja favorável para ambos. Então, em que se beneficia cada um?

Os fungos são heterótrofos, ou seja, obtêm seu alimento de matéria orgânica disponível ou proveniente de outros organismos. Durante a simbiose, eles se alimentam dos hidratos de carbono que produz o organismo vegetal. Por outro lado, ao se unir com as raízes, o fungo concede à planta uma maior superfície de exploração do solo e, consequentemente, uma maior absorção já que lhe transfere os nutrientes obtidos, como o nitrogênio e o fósforo.

Além disso, o fungo micorrícico funciona como uma espécie de “barrera física” que protege o hospedeiro do ataque de parasitas e fungos patogénicos. Ao ocupar o lugar disponível na rizosfera da planta, outros organismos prejudiciais não podem entrar em contato com as raízes.

Biorremediação

Actualmente, a poluição dos solos causada pela libertação de desperdícios das grandes indústrias é um problema global. Embora um dos principais objectivos da biotecnologia seja a criação de processos produtivos que resultem menos nocivos para o ambiente, também foram encontrados métodos para tratar os resíduos.

A biorremediação é o uso de organismos vivos ou produtos do seu metabolismo para a recuperação de ambientes contaminados. Na fitorremediação, as plantas são os agentes principais do processo. Elas têm a capacidade de absorver metais pesados, solventes orgânicos e outros poluentes, ajudando a limpar o ambiente de forma natural.

Provavelmente estarão se perguntando... que papel cumprem os fungos neste processo? A verdade é que os fungos endomicorrícicos arbusculares (HMA) são fonte de grande interesse na fitorremedicação. Como já vimos anteriormente, este tipo de microrganismo aumenta a absorção de nutrientes do solo. O mesmo acontece com os metais pesados.

Os HMA não só potenciam a extração de componentes tóxicos do solo, mas também podem modificar o estado químico de certos contaminantes para reduzir a sua toxicidade.

Há outro tipo de biorremediação que envolve os fungos de maneira direta: a Minhacorremediação. No caso das almofadas de cigarro, estas retêm substâncias que representam um grande risco toxicológico ao serem descartadas em resíduos comuns. A gírgola é um fungo comestível que, além de sou incrível sabor e alto valor proteico, tem a habilidade de degradar os compostos químicos presentes nos filtros do cigarro. Esta é uma forma muito eficiente de reduzir a poluição.

MedicinaAo longo dos anos, os fungos têm demonstrado ser muito importantes para a medicina e a saúde humana. Um dos mais destacados é a melena de leão devido às suas notáveis propriedades medicinais.

Um estudo recente demonstrou que a melena de leão contém dois compostos orgânicos capazes de melhorar a memória em ratos: as erinacinas e hericenonas. Estas moléculas são capazes de aumentar a produção do fator de crescimento nervoso, proteína essencial para a sobrevivência, desenvolvimento e crescimento das células nervosas.

Esta descoberta poderia significar um potencial uso terapêutico para o tratamento de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer.

O potencial oculto do mundo microscópico

Atualmente, cerca de 70 000 espécies de fungos diferentes, no entanto, dizem-se que poderiam existir mais de um milhão e meio. Isto é uma exemplificação do imenso que é o mundo microscópico, por mais paradoxal que soe.

Sem nos limitar ao reino fungi, o microbioma tem um grande potencial ainda inexplorado que promete oferecer-nos grandes ferramentas. Os cientistas e biotecnólogos desempenham um papel de suma importância na descoberta e pesquisa desses inesgotávels microrganismos.

Vivemos num ambiente de mudança contínua. A biotecnologia e as suas descobertas oferecem uma melhoria à qualidade de vida, não só das pessoas, mas de todos os organismos vivos que habitam na terra. O estudo do mundo microscópico nos lembra que, no mais recondito da natureza, por mais insignificante que pareça, muitas vezes reside o maior potencial de mudança.

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
milagros castroman

Milagros Castroman

Sou estudante de segundo ano de biotecnologia em UADE. Tenho um profundo interesse na aplicação da ciência na abordagem de problemas ambientais para promover um futuro mais verde.

Visualizações: 0

Comentários