15/09/2022 - Tecnologia e Inovação

O que fazer quando te hackeam a conta do WhatsApp?

Por horacio gustavo ammaturo

O que fazer quando te hackeam a conta do WhatsApp?

Oscar "Ringo" Bonavena, foi um boxeador de peso pesado, argentino, rankeado no terceiro lugar em seus tempos, que lutou durante os anos 70, chegando a ter um combate com o mismíssimo Muhammad Ali, um dos atletas mais reconhecidos de todos os tempos.

Famoso por suas anedotas e comentários é atribuído a expressão de:"Dizem que a experiência é um peine que te chega quando você está pelado".No entanto, para todos os que ainda contam com sua cabellera, conhecer a experiência alheia pode ser de grande utilidade.

Há alguns dias, recebi um telefonema identificado com uma foto de perfil do Programa Vacinate Buenos Aires.

Amavelmente um homem me consultava sobre as vacinas que tinha recebido, se tinham sido 2, 3 ou 4 doses, quais sintomas posteriores tinham tido? e muitas outras relacionadas com a minha saúde após a vacinação. .

Explicou que o procedimento era habitual para atualizar dados de “Mi Argentina”, plataforma que se emprega para acessar os documentos mais usuais dos argentinos, tais como CUIT, cédulas automotores, comprobantes de cobertura de seguros ou licenças de condução. Até mesmo os certificados de vacinação pelo Covid-19.

A conversa durou alguns minutos.

No final, me agradece a colaboração, informando que já está se atualizando a plataforma e me indica que em alguns segundos estaria recebendo uma mensagem de texto (SMS) no meu telefone com um código necessário para fechar o processo.

Com efeito, recebi a mensagem e comunique o número como previsto.

Imediatamente desapareceu o meu WhatsApp. Só estava o formulário de admissão ao sistema, como se fosse activar um novo número telefônico.

Minha identidade digital do WhatsApp tinha sido sutraída. Fui uma nova vítima do Phishing informático.

O que deve ter em conta para não ser vítima de Phishing

  1. Leia SIEMPRE todo o conteúdo das mensagens que recebemos. Se eu tivesse lido a mensagem teria notado que dizia “Não partilhe o código com ninguém”.
  2. Obviamente, NUNCA dar a um estranho um dado que nos chega por telefone. A lógica indica que ninguém pode precisar de algo que manda e não conhece. Por algo será que não o conhece.
  3. Programar nossos dispositivos e programas, se possível, com todas as protecções de dados que oferecem. WhatsApp possibilita a VERIFICAÇÃO EM DOS PASOS, é dizer via SMS e correio. Isto dá-nos mais uma instância para descobrir a tentativa de fraude.
  4. Uma vez descoberto o fato Voltar a registrar no telefone o número do WhatsApp. Isso pode não ser resolutório, mas coloca um prazo à tortura de ser despojado de sua identidade digital. No meu caso, o Phisher, (nome dado a quem rouba dados digitais por armadilhas), registrou em um e-mail de seu domínio o duplo cheque da minha identidade. Felizmente, alguém também pensou uma solução para isto e é que aos 7 dias, se a identidade for solicitada por duas partes ao mesmo tempo, o processo é suspenso a dois passos. É por isso que é muito importante voltar a solicitar a titularidade, embora não seja possível imediatamente.
  5. Ter previamente previsto um protocolo de avisos e assistência para VÍCTIMAS E FACILITADORES. Contar com uma lista de pessoas mais vulneráveis do nosso ambiente, avós, pais ou pessoas mais crédulas ou influenciáveis para alertar primeiro, por um lado. Por outro lado, aos mais rápidos e ligados às nossas redes para espalhar rapidamente o que aconteceu.
  6. DIFUNDIR nas nossas redes o que aconteceu.
  7. Tomar nota do novo telefone ligado à nossa identidade e aos dados das contas Para onde solicitam ajudas, resgates ou qualquer outra circunstância que apele à boa vontade daqueles que, em última análise, são também iludidos, nossos contatos.
  8. Fazer a denúncia à autoridade que corresponda para ajudar a terminar com este tipo de fraudes. Na Cidade de Buenos Aires, por meio do 911 me derivaram ao escritório de denúncia de crimes virtuais.

Outros temas a ter em conta

Os Phishers não têm acesso às mensagens anteriores, nem às fotos, documentos ou informações que foram trocadas antes do crime. Estes dados são armazenados nos telefones e podem ser feitas cópias de segurança nas nuvens que possamos ter habilitadas.

Sim, terão acesso à lista de contactos e às mensagens que você recebe desde o momento do acesso até que o pedido de titularização seja feito novamente.

Isso obriga o delinquente a vincular a identidade sutraída com outro telefone. Por isso, em geral, as fraudes começam com "O meu novo número de telefone".

Por último, saber que isso pode acontecer.

Que se acontece há que manter a calma e recorrer à ajuda de quem saiba algo mais ou mais tranquilo.

Existem meios alternativos como o Telegram, o Signal ou os antigos SMS para nos manter conectados neste mundo tão online e inseguro.

Qualquer consulta deixe seus comentários.

Napoleão dizia que a experiência própria é a melhor maneira de aprender, astima que é cara e chega tarde.

Deseja validar este artigo?

Ao validar, você está certificando que a informação publicada está correta, nos ajudando a combater a desinformação.

Validado por 0 usuários
horacio gustavo ammaturo

horacio gustavo ammaturo

Chamo-me Gustavo Ammaturo. Sou licenciado em Economia. CEO e Diretor de empresas de infraestrutura, energia e telecomunicações. Fundador e mentor de empresas de Fintech, DeFi e desenvolvimento de software. Designer de produtos Blockchain.

TwitterLinkedin

Visualizações: 27

Comentários